"Somos todos viajantes de uma jornada cósmica, poeira de estrelas, girando e dançando nos torvelinhos e redemoinhos do infinito. A vida é eterna. Mas suas expressões são efêmeras, momentâneas, transitórias." Deepak Chopra

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Quem é Mãe Stella?


Mãe Stella recebe título de Doutor Honoris Causa da Uneb

Cleidiana Ramos, do A TARDE
Rejane Carneiro / Agência A TARDE

Mãe Stella é uma das ialorixás mais respeitadas na Bahia
Nesta quinta, em cerimônia que começa às 9h30, no auditório da Uneb, no Cabula, a ialorixá Mãe Stella de Oxóssi, vai receber o título de Doutor Honoris Causa da Universidade do Estado da Bahia (Uneb). Mãe Stella, uma das mais conhecidas sacerdotisas do candomblé baiano, festeja esta semana seus 70 anos de iniciação religiosa.
O título da Uneb é mais uma honraria que vem se somar às conquistadas por Mãe Stella. Ela já foi agraciada com a Medalha Maria Quitéria, da Câmara Municipal de Salvador; a da Ordem do Cavaleiro, do governo da Bahia; comenda do Ministério da Cultura, além do título de Doutor Honoris Causa, da Ufba, concedido em 2005.
A homenagem foi sugerida pelas professoras da Uneb, Yeda Pessoa de Castro, Márcia Rios, Norma Lopes e Rosa Helena Blanco, integrantes do Departamento de Ciências Humanas da Uneb. A proposta para o título foi formalizada no Conselho Superior Universitário (Consu) pelo diretor do departamento, Egnaldo Pellegrino.
A principal justificativa para o título é o reconhecimento pela trajetória da ialorixá em defesa da sua herança cultural afro-brasileira que é a mesma de grande parte dos baianos.
“A trajetória de Mãe Stella tem grande relevância para a academia e a sociedade já que, como líder religiosa, foi importante defensora da cultura de matriz africana. A concessão desse título é mais uma iniciativa que reforça essa missão da nossa Uneb de promover a igualdade étnica e social", destaca o reitor da Uneb, Lourisvaldo Valentim.
A Uneb concede o titulo de Doutor Honoris Causa a pessoas que tenham se distinguido de forma significativa por seus conhecimentos ou atuação em defesa das artes, ciências, filosofia ou melhor entendimento entre os povos.
A professora Yeda Pessoa de Castro, que fez parte do grupo de docentes autores da sugestão para que Mãe Stella recebesse o título, afirma que a yalorixá se destaca não só pela defesa da sua religião, mas também na luta em prol do respeito à diversidade.
“Além disso, ela tem escrito vários livros onde aborda a ética das suas tradições religiosas e ao mesmo tempo defende também a natureza, afinal as religiões afro-brasileiras são religiões ecológicas“, diz.
Mãe Stella é autora de E daí Aconteceu o Encanto, escrito em parceria com Cléo Martins e publicado em 1988; Meu Tempo é Agora (1993); Oxóssi, o Caçador de Alegrias (2006), Owé- Provérbios, lançado em 2007 e Epé Laiyé- Terra Viva, publicado este ano e voltado para o público infanto-juvenil.
Outras comemorações- Além do título de Doutor Honoris Causa, Mãe Stella vai receber homenagens no Ilê Axé Opô Afonjá. A programação, organizada pela Sociedade Cruz Santa do Axé Opô Afonjá, inclui, no próximo sábado, inauguração da Praça Mãe Stella no terreiro, pela manhã, e à noite uma festa em homenagem a Oxóssi.
Aos 84 anos, Mãe Stella está há 33 à frente do Ilê Axé Opô Afonjá. Ela é a quinta ialorixá a ocupar o comando do terreiro que completa 100 anos em 2010. Enfermeira aposentada, Mãe Stella foi a responsável pela instalação no Afonjá do Museu Ohun Lailai e da Escola Eugênia Anna dos Santos, que é uma das referências no ensino de História da África e Cultura Afro-Brasileira.
Ela também foi a líder de um manifesto, divulgado na década de 1980, onde defendia que o candomblé firmasse a sua posição como religião.

Nenhum comentário: