"Somos todos viajantes de uma jornada cósmica, poeira de estrelas, girando e dançando nos torvelinhos e redemoinhos do infinito. A vida é eterna. Mas suas expressões são efêmeras, momentâneas, transitórias." Deepak Chopra

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Oro Axé Exu - Mais uma realização do Povo de Santo!



Parabéns Yá Fabiula Berti! Foi imensa minha alegria de poder comparecer ao seu Oro Axé Exu. A construção foi coletiva, e vc carinhosamente lembra os nomes dos que colaboraram com a realização dele. A festa foi extensiva. E só posso agradecer a vc e ao nosso Babá Pai Rivas, por nos permitir vivenciar mais esta experiência memorável. Muito obrigada mesmo! E que as Santas Almas continuem iluminando seu Ori por meio das mãos de nosso mestre! Axé e vida longa!

Replico as palavras do meu querido e amado Olavo Solera, porque é uníssono ao meu coração:

" Gostaria de iniciar este texto com parte de um dos texto de Ifá e em especial do Odu Obara Meji e que traduz a vivência do último rito de Exu em Itanhaém – São Paulo, realizado no templo/terreiro de mãe Fabiola e conduzido por nosso Baba – Pai Rivas:

Obara ni, ki ndojúbolê ki n’ba búru,
Ki Elégbará ó jékí ngo ló
Njé Ìkúdêrin Moforibalê f’Elégbará.

“Obara Meji pediu
Que eu prostrasse em reverência,
Cobrindo minha cabeça.
Que eu deveria me prostrar
E me cobrir em respeito,
Para que Elégbará me permitisse prosseguir
Em meu caminho de felicidade e riqueza.
Assim, minha morte transformar-se-ia
Em longa vida de alegria.
Portanto, curvo-me ante Elégbará...”

Início este texto com o respeito do filho para seu Baba e para Exú, e gostaria que meu texto pudesse traduzir a alegria, a união, o fundamento passado, o carinho de nosso pai para com todos, mas seria impossível traduzir em letras aquilo que foi uma noite de aprendizado e de Axé.
Tive a oportunidade em conversar com pessoas que lá estavam pela primeira vez e que me diziam que depois de trinta anos de santo, elas estavam tendo a oportunidade de ouvirem da boca de Exú tantos fundamentos (Itans) e que estavam com uma alegria intensa por estarem tendo esta oportunidade.
Pude ver que estas pessoas dançaram e cantaram com tanta alegria que momentaneamente meus olhos encheram de lágrimas, sim meus amigos e irmãos, via eu naquele momento realizar tantas conversas com o pai Rivas e até sonhos que tive a muitos anos atrás, quando via um povo com roupas coloridas que andavam (ou dançavam) em perfeita harmonia...
No dia subsequente ao rito, apesar de dormir poucas horas, estava radiante, inteiro e agradecido.
Agradecido ao mundo espiritual por ter me favorecido com um Pai Espiritual encarnado que traduz o Axé da melhor forma que é exemplificando, durante mais de oito horas seguidas incorporado, dançando, cantando, ensinando e atendendo a todas as pessoas com tamanho carinho que ficava notório a todos o Mestre de mãos cheias que naquela noite aspergiu bênçãos a todos, e ao Sr. Exú que transitava por vários fundamentos afro-brasileiros, pois estavam ali presentes vários representantes das mesmas.
Tenho a certeza que foi mais uma noite memorável a todos, pois via nos mesmos a certeza que todos faziam parte desta coletividade rica em saber, em símbolos, em mitos e awos, que engrandecem as religiões afro brasileiras.
Ao meu Pai - Baba mi, meus agradecimentos pelo longos anos de convivência e ensinamentos e que tenha dobrado as bênçãos que nos ofertou nesta noite de Axé.
Axé a todos,
Ygbere – Olavo Solera"


PS: 
Adriano Dos Santos Silva: Lossi Cristiano Cristiano que esteve presente no Oro Axé Exú, me relatou durante o Oro, que ficou encantado com o Sr. Capa Preta, pois o mesmo sem conhecê-lo relatou algumas fases de sua vida inclusive de sua iniciação e também a hospitalidade da Casa de Axé.
Fico contente, pois Babá Lossi Cristiano ter gostado do Oro, e como um Sacerdote sério que é, e conhecedor da etiqueta do santo, teve a sensibilidade e o respeito com as entidades e a Casa de Axé.

Nenhum comentário: