"Somos todos viajantes de uma jornada cósmica, poeira de estrelas, girando e dançando nos torvelinhos e redemoinhos do infinito. A vida é eterna. Mas suas expressões são efêmeras, momentâneas, transitórias." Deepak Chopra

domingo, 4 de outubro de 2009

CONSELHO DO IPHAEP APROVA O PRIMEIRO TOMBAMENTO SOB A GUARDA DE RELIGIÕES DE MATRIZ AFRO-BRASILEIRA


Luiz Assunção nos mandou este email:

CONSELHO DO IPHAEP APROVA O PRIMEIRO TOMBAMENTO SOB A GUARDA DE RELIGIÕES DE MATRIZ AFRO-BRASILEIRA

Neste dia 30 de setembro de 2009, às 15 horas, na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba - IPHAEP, o Conselho Deliberativo do IPHAEP aprovou POR UNANIMIDADE o TOMBAMENTO do SÍTIO DO ACAIS, localizado no município de ALHANDRA. A decisão é considerada histórica em função de ser uma luta travada por umbandistas, JUREMEIROS e JUREMEIRAS, de todo o Brasil desde a década de 70 e por ser também o PRIMEIRO TOMBAMENTO sob a GUARDA DE RELIGIÕES DE MATRIZ AFRO-INDÍGENA-BRASILEIRA.

HISTÓRICO

O sítio do ACAIS, nos anos 30, foi habitado por antigos benzedores e juremeiros, Maria do Acais, Zezinho do Acais, Mestre Flósculo, visitados e solicitados por pessoas de todas as partes do mundo para realizarem trabalhos de cura. As terras foram passando de geração a geração na família até que foram vendidas.
Desde então este sítio tem sido alvo de destruição da memória dos juremeiros e da cultura paraibana em sua essência e hoje se encontra em estado lamentável. Juremeiros e Juremeiras de todo o Brasil, incluindo a Universidade Federal da Paraíba - UFPB, a Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN e a Universidade Estadual da Paraíba - UEPB vem constantemente lutando para que seja preservada a MEMÓRIA da Jurema Sagrada representada naquelas terras pelos pés de jurema, pelo memorial de Zezinho do Acais levantado às margens da estrada por juremeiros e juremeiras em manifestação o ano passado e, o túmulo do Mestre Flósculo que está localizado atrás da Igreja São João Batista, capela situada em frente às terras em que ficava o sítio.
A Federação Cultural Paraibana de Umbanda, Candomblé e Jurema - FCP UMCANJU, presidida por Pai Beto de Xangô promoveu, no dia 20 de março de 2009, a vitoriosa PASSEATA DA PAZ em Alhandra lutando pelo tombamento do sítio do Acais.
Na decisão do IPHAEP consta que a FCP UMCANJU, juntamente com a Sociedade Iorubana Teológica de Cultura Afro-brasileira serão os órgãos responsáveis pelo destino dado ao Sítio do Acais.

PAI BETO DE XANGÔ, que ainda este ano recebeu o título de GUARDIÃO DA JUREMA SAGRADA, de antemão avisa que os juremeiros e as juremeiras voltarão à Alhandra para realizar a PASSEATA DA VITÓRIA. Maiores informações ligar 8630-6292 (PAI BETO DE XANGÔ) ou pelo e-mail fcpumcanju@hotmail.com.

(Mensagem divulgada pela FCP UMCANJU).

Um comentário:

odesola disse...

As terras não foram vendidas e sim envadidas pelos senhores de engenho, não tendo comprovação da compra envadio e derrubou o imovel q lá existe (casa de Maria do acais). Devido o não envolvimento da familia apos a morte da Sra. Dora, os espertos invadirão o local, mais graça as orações e os juremeiros(as) que se envolverão na passeata, foi realizado o tão espera tombamento.
Eu, Vagner Guimarães bisneto de Maria do Acais, venho aguardecer a todos aqueles que participarão.
Que Deus e a jurema sobrei a todos.