"Somos todos viajantes de uma jornada cósmica, poeira de estrelas, girando e dançando nos torvelinhos e redemoinhos do infinito. A vida é eterna. Mas suas expressões são efêmeras, momentâneas, transitórias." Deepak Chopra

quinta-feira, 3 de março de 2011

Rio de Janeiro é primeira cidade brasileira a aderir à Hora do Planeta 2011

Hora do Planeta 2011
Lançada globalmente ontem (quarta-feira, 2 de março) em Cingapura, a Hora do Planeta 2011 acontece no sábado, 26 de março, às 20h30. Maior movimento mundial contra o aquecimento global, a Hora do Planeta é promovida no País pelo WWF-Brasil desde 2009. O Rio de Janeiro é a primeira cidade brasileira a oficializar a sua participação e irá apagar as luzes do Cristo Redentor, dos Arcos da Lapa e outros ícones cariocas.
No sábado 26 de março, a partir das 20h30, o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, estará com as luzes apagadas para marcar a participação da cidade, pela terceira vez, na Hora do Planeta, o maior movimento mundial contra o aquecimento global. Promovida pela Rede WWF, e lançada nesta quarta-feira, 2 de março, em Cingapura, a Hora do Planeta reúne governos, empresas e pessoas do mundo todo que apagam as suas luzes, durante sessenta minutos, para celebrar o planeta e pedir uma solução para as mudanças climáticas.
Pelo terceiro ano consecutivo o WWF-Brasil promove a Hora do Planeta no País e conta com o Rio de Janeiro como a cidade-sede do movimento no Brasil, que além do Cristo Redentor pretende apagar os Arcos da Lapa, orla de Copacabana, Arpoador, Igreja da Penha entre outros.
“A Hora do Planeta tem um incrível efeito multiplicador, e o Brasil tem destaque nesse movimento mundial, com uma participação cada vez mais intensa e criativa de milhões de pessoas”, comentou Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil, que convida toda a população brasileira a participar nesse ato simbólico.
“O Rio de Janeiro sempre teve um papel de destaque no movimento ambiental. Desde a Eco-92, é uma das grandes interlocutoras mundiais na discussão da sustentabilidade. Em 2012, por exemplo, vamos sediar a Rio+20, a Cúpula Mundial do Meio Ambiente. Como prefeito e cidadão, meu apoio é total às iniciativas em favor da preservação do nosso ecossistema e o uso mais sustentável dos recursos naturais. Por isso mesmo, desde a primeira edição da Hora do Planeta, em 2009, fiz questão de participar. É um ato simbólico, mas que demonstra a boa vontade e o comprometimento de todos os cariocas em fazer do mundo um lugar melhor para nós e nossos filhos, começando pelo Rio”, ressaltou o prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, na sua mensagem de adesão ao movimento.
Em 2010, 98 cidades brasileiras, incluindo 20 capitais, apagaram as luzes e demonstraram sua preocupação com o aquecimento global. Ícones nacionais como o Cristo Redentor, a Ponte Estaiada, o Congresso Nacional e o Teatro Amazonas ficaram no escuro por sessenta minutos. Para 2011, o WWF-Brasil conta com o apoio da Frente Nacional de Prefeitos, entidade suprapartidária que reúne cerca de 400 prefeitos das grandes e médias cidades brasileiras, para mobilizar ainda mais municípios para a Hora do Planeta.
Para participar da Hora do Planeta, o primeiro passo é se cadastrar no sitewww.horadoplaneta.org.br, baixar kits de mobilização e ficar por dentro das últimas notícias. Em 2011, espera-se que pessoas, empresas e cidades façam da música a simbologia da Hora do Planeta brasileira. Por isso, a Hora do Planeta convida todos a celebrarem a conscientização por uma vida mais sustentável ao som de instrumentos, batuques ou palmas, de forma a simular as batidas do coração, símbolo de vida.
60+: Além da Hora
Apresentada globalmente pela Rede WWF nesta quarta-feira, 2, em um evento em Cingapura, a principal novidade da Hora do Planeta 2011 é a plataforma de mobilização 60+. Trata-se de uma ferramenta para reunir iniciativas de pessoas de todo o planeta para mostrar que é possível enfrentar a ameaça do aquecimento global por meio de ações coletivas. A proposta é envolver pessoas em ações concretas que levem à mudança de hábitos cotidianos. No Brasil, inicialmente, a plataforma “60+” terá como tema a reciclagem. A idéia é esclarecer e influenciar os brasileiros sobre a importância da separação e reciclagem de resíduos sólidos, envolvendo governos, empresas e cidadãos.
“Os desafios que confrontam nosso planeta são imensos, mas nunca devemos subestimar as possibilidades de efetivar mudanças que surgem quando nós encaramos os desafios unidos e com a mesma vontade verdadeira. Centenas de milhões de pessoas ao redor do mundo vêm nos oferecendo uma idéia de quantas possibilidades existem. Chegou a hora de ir Além da Hora e mostrar tudo que pode ser feito pelas pessoas em prol do Planeta”, disse o diretor-geral do WWF, Jim Leape.
A plataforma www.earthhour.org/beyondthehour funcionará em português e em mais dez idiomas, sendo futuramente integrada ao site da Hora do Planeta no Brasil – www.horadoplaneta.org.br . Por meio das redes sociais, como Twitter, Facebook e Orkut, os usuários ao redor do mundo – sejam indivíduos, governos ou organizações – poderão compartilhar suas ações, seguir exemplos de comprometimento e inspirar outras pessoas para a ação. Entre as mais de mil iniciativas já compartilhadas pela plataforma, é possível destacar:
* O governo do Nepal se comprometeu a embargar completamente a derrubada de arvores na Serra Churiya, uma área de 23 mil km2 de floresta da maior importância social e ecológica.
* Pocoyo, uma série de desenho animado para a televisão, alcançará público na idade pré-escolar no decorrer deste ano, promovendo a “Aprendizagem pelo Riso” e utilizando o humor para informar crianças sobre as questões ambientais e estimular sua aprendizagem.
* Nathi Mzileni, um jovem de 15 anos da Suazilândia decidiu reagir em 2010 quando ele descobriu que a sua vila não participava no movimento Hora do Planeta. Ele formou um grupo na sua escola chamado Green Enviro com o propósito de educar as pessoas sobre as mudanças climáticas e este ano ele tem conseguido, sozinho, fazer com que sua cidade de Shimunye, na Suazilândia, participe.
* O Prefeito da cidade de Sydney, Clover Moore MP, se comprometeu com a construção de mais seis ciclovias independentes, a instalação de lâmpadas LED nos parques e ruas da cidade e está apoiando uma usina tri-gerador para produzir energia baixo carbono.
Sobre a Hora do Planeta
A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF sobre mudanças climáticas. No sábado, dia 26 de março de 2011, às 20h30, pessoas, empresas, comunidades e governo são convidados a apagar suas luzes pelo período de uma hora para mostrar seu apoio ao combate ao aquecimento global.
Na primeira edição, realizada em 2007 na Austrália, 2 milhões de pessoas desligaram suas luzes. Em 2008, mais de 50 milhões de pessoas de todas as partes do mundo aderiram à ação. Em 2009, quando o WWF-Brasil realizou pela primeira vez a Hora do Planeta no Brasil, quase 1 bilhão de pessoas em todo o mundo apagaram suas luzes. Em 2010, o movimento atingiu 4.200 cidades em 125 países.
Sobre o WWF-Brasil
O WWF-Brasil é uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e de promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. O WWF-Brasil, criado em 1996 e sediado em Brasília, desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários. Visite www.wwf.org.br
** Nota do WWF-Brasil publicada pelo EcoDebate, 03/03/2011

Nenhum comentário: