"Somos todos viajantes de uma jornada cósmica, poeira de estrelas, girando e dançando nos torvelinhos e redemoinhos do infinito. A vida é eterna. Mas suas expressões são efêmeras, momentâneas, transitórias." Deepak Chopra

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Harmonia religiosa: a visão holística hindu



No próximo dia 8 de fevereiro de 2011, o Fórum Mundial de Teologia e Libertaçãoirá celebrar, dentro do Fórum Social Mundial, em Dakar, no Senegal, uma oficina sobre "Religiões e Paz: A visão/teologia necessária para tornar possível uma Aliança de Civilizações e de Religiões para o bem comum da humanidade e a vida no planeta". A organização da oficina é da Associação Ecumênica de Teólogos/as do Terceiro Mundo - ASETT/EATWOT.
Para facilitar a participação e o debate, a EATWOT disponibilizou as conferências resumidas de vários especialistas que serão apresentadas sobre a temática proposta na oficina do ano que vem.
O sítio do IHU, em suas Notícias do Dia, está disponibilizando as principais conferências a respeito da temática. Veja abaixo, em "Para ler mais", a lista de textos já publicados.
Publicamos hoje a reflexão de K. L. Seshagiri Rao, professor emérito da Universidade da Virginia, nos Estados Unidos, e editor-chefe da Enciclopédia do Hinduísmo. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
Eis o texto.


Harmonia religiosa: a visão holística hindu

É preciso afirmar a comum humanidade dos seguidores de todas as religiões. Isso está em relação com a unidade da Humanidade. A ordem planetária não tem fronteiras. Unidade não é uniformidade.
As diferenças devem ser valorizadas e preservadas. Homem e mulher são diferentes. De fato, cada pessoa é diferente da outra. E, no entanto, todos os seres humanos são um na verdade e no amor. Pertencem à única família humana. A diversidade de religiões é o contexto adequado dentro do qual cada indivíduo pode crescer e se desenvolver.
O olhar holístico se refere não só a própria comunidade de fé, mas também à Humanidade e ao Deus/Verdade. Ele não suprime as alternativas. Ele encoraja as comunidades de fé a trabalhar juntas pela proteção dos direitos humanos e pelo bem de toda a humanidade.
Cada religião, cultura e língua tem o seu lugar no mundo. Cada tradição faz parte de toda a herança humana. A vida é ampla, e deveríamos passá-la sem obstáculos. O pluralismo religioso traz riqueza e beleza para a vida humana. Ele proporciona uma cultura adequada, em que cada tradição pode preservar suas características únicas e poder agir, reagir, crescer e se desenvolver. Ele também detém a chave para a resolução dos conflitos religiosos. A regra de ouro é a base comum de todas as religiões. Para o diálogo entre as religiões e as culturas do mundo, um pré-requisito é a abertura de mentalidade. Isso exige o respeito por si mesmo e pelos outros e a coragem de enfrentar as diferenças.
Toda a literatura espiritual glorifica a Verdade como o valor supremo. Nosso interesse pela Verdade deveria nos tornar receptivos às correntes de Verdade que manam de outras fontes. Todas as religiões, juntas, expressam só uma pequena porção da Verdade infinita.
Os tesouros latentes de cada tradição religiosa devem ser manifestados para o benefício de todos. Todo o bem que existe nelas deve ser destacado e posto ao serviço da humanidade. As nobres reflexões das diferentes tradições de fé deveriam tornar a vida e a sociedade mais humanas e compassivas. As coisas deveriam ser vistas de uma perspectiva humana. Nossa época exige uma visão holística para o desenvolvimento e a melhoria de todos os povos.
Os valores humanos ensinam que o serviço ao pobre, ao doente e ao oprimido é serviço a Deus, e que a justiça e o direito devem ser assegurados a todos os membros da família humana.

K. L. Seshagiri RaoEditor-chefe da Enciclopédia do Hinduísmo e coeditor de Interreligious Insight
Professor emérito da Universidade da VirginiaEstados Unidos

Nenhum comentário: