"Somos todos viajantes de uma jornada cósmica, poeira de estrelas, girando e dançando nos torvelinhos e redemoinhos do infinito. A vida é eterna. Mas suas expressões são efêmeras, momentâneas, transitórias." Deepak Chopra

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

RESOLUÇÃO DA ONU E A PERSEGUIÇÃO AOS BAHÁ'ÍS NO IRÃ em 21/12/2010




Em 5 de março de 2008, Mahvash Sabet – uma professora, mãe de dois filhos – foi detida após ter sido convocada para tratar de uma questão referente a um sepultamento bahá’í na cidade de Masshad. Ela encontra-se presa desde então – tendo passado os primeiros 175 dias em confinamento solitário.

Dois meses depois, em 14 de maio, outros seis proeminentes membros da comunidade Bahá’í do Irã foram encarcerados na notória prisão de Evin, em Teerã, depois de detidos em uma operação que invadiu repentinamente duas casas nas primeiras horas da manhã, numa varredura assustadoramente semelhante ao episódio ocorrido no início dos anos de 1980, quando numerosos líderes bahá’ís foram sumariamente capturados e mortos.

Os seis são Fariba Kamalabadi, Jamaloddin Khanjani, Afif Naeimi, Saeid Rezaie, Behrouz Tavakkoli, e Vahid Tizfahm.

Esses cinco homens e duas mulheres eram todos membros de um grupo de âmbito nacional, conhecido como “Yaran-i-Iran” – ou “Amigos no Irã”.

Cerca de 20 meses depois de serem aprisionados sem acusação, iniciou-se um julgamento em 12 de janeiro de 2010. Durante todo o tempo de espera por justiça, os sete mal tiveram uma hora de acesso aos seus advogados e foram submetidos a tratamentos e privações terríveis, incluindo sofrimento físico e psicológico.

Os sete foram acusados, entre outras coisas, de espionagem, propaganda contra a República Islâmica, e estabelecimento de uma administração ilegal – acusações que foram todas completa e categoricamente rejeitadas pelos réus.

Entretanto, seu crime nada mais é que o fato de serem membros da Fé Bahá’í, uma religião que tem sido o foco de uma perseguição sistemática patrocinada pelo governo do Irã desde a revolução de 1979.

De fato, o julgamento dos sete foi de certo modo o julgamento de toda uma comunidade de mais de 300.000 bahá’ís iranianos. No decorrer dos últimos 30 anos, mais de 200 bahá’ís foram mortos, centenas de outros aprisionados, e milhares privados de emprego, educação e da liberdade de culto.

As acusações contra os sete refletem, além disso, os tipos de falsas acusações e a campanha de desinformação que o regime do Irã tem usado para humilhar e difamar os bahá’ís há décadas.

O julgamento dos sete líderes bahá’ís terminou em 14 de junho de 2010, depois de seis breves seções, caracterizadas pela ausência do devido processo legal.

A sentença inicial de 20 anos de prisão para cada um dos réus foi recebida com ultraje e condenação por todo o mundo. Os termos de prisão foram posteriormente reduzidos para 10 anos, de acordo com informações fornecidas oralmente aos advogados. 


Comunidade Bahá'í Internacional se manifesta em carta ao Poder Judiciário iraniano

Em uma manifestação contra a injusta sentença de 10 anos de prisão das sete lideranças bahá'ís, a Comunidade Internacional Bahá'í enviou uma carta ao chefe do Poder Judiciário iraniano, Ayatollah Mohammad Sadeq Larijani, no dia 7 de dezembro, questionando a falta de provas das acusações que motivaram as prisões e o tratamento dado aos prisioneiros de consciência.

carta faz um apelo ao chefe do judiciário iraniano para que os bahá'ís sejam tratados com a mesma dignidade que o governo iraniano pede que as minorias muçulmanas sejam tratadas em outros países.

Em apoio aos bahá'ís no Irã, a Comunidade Bahá'í do Brasil acaba de lançar uma campanha de mobilização nacional de apoio às sete lideranças bahá'ís, presas no Irã desde 2008. Você pode participar divulgando a carta traduzida e a campanha das seguintes formas:

  • Divulgue a carta aberta na mídia, aos líderes comunitários, autoridades locais, formadores de opinião, acadêmicos, organizações não-governamentais, artistas, bem como indivíduos de proeminência que possam fazer pronunciamentos públicos sobre as injustiças cometidas contra os bahá'ís no Irã;
  • Divulgue esta campanha no Facebook e no Twitter, e compartilhe com seus contatos;
  • Escreva em um tom cordial cartas de protesto para a Embaixada do Irã no Brasil e ao Chefe do Poder Judiciário iraniano solicitando a imediata libertação dos sete bahá'ís (veja os endereços abaixo);
  • Envie uma carta em tom cordial para o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, solicitando que o governo brasileiro utilize suas boas relações com o Irã para interceder pela imediata libertação desses sete bahá'ís (veja o endereço abaixo);

Para compartilhar suas ações, envie uma cópia de suas cartas e links de postagens nas redes sociais para sasg@bahai.org.br.

A Assessoria de Comunicação da Comunidade Bahá'í do Brasil conta com colaboradores em diversos estados que podem fornecer mais informações sobre esta iniciativa. Entre em contato para localizar alguém mais próximo: ascom@bahai.org.br.


Clique aqui para fazer o download da carta enviada ao chefe do Judiciário Iraniano.
http://www.bahai.org.br/secext/arquivos/13-12-2010/carta_aberta_Mohammad_Larijani_1210_2.pdf

Veja abaixo os endereços para envio das cartas:

Chefe do Poder Judiciário Iraniano: Ayatollah Mohammad Sadeq Larijani
E-mail: info@dadiran.ir
Escreva na linha de assunto: Attention Ayatollah Mohammad Sadeq Larijani

Embaixador do Irã: Sr. Mohsen Shaterzadeh Yazdi
End: SES Av. das Nações - Qd 809 - Lote 31 - Brasília-DF - CEP: 70421-900
Tel.: (61) 3443 0426 | 3244 9640
E-mail: shaerzadeh@mfa.gov.ir | shaterzadeh@irembassybr.com | mohsen.shaterzadeh@yahoo.com

Embaixada da República Islâmica do Irã
End.: SES Av. Das Nações, QD 809 Lote 31 - Brasília-DF - CEP 70421-900,
Tel.: (61) 3242 6733, fax: (61) 3244 9640
E-mail: webiran@webiran.org.br

Ministério das Relações ExterioresA/c: Ministro Celso Amorim
End.: Palácio do Itamaraty-Esplanada dos Ministérios - Bloco H - Brasília-DF - CEP: 70170-900
E-mail: clamorim@mre.gov.br



O que é a Fé Bahá'í
É uma religião mundial, independente, com suas próprias leis e escrituras sagradas, surgida na antiga Pérsia, atual Irã em 1844. A Fé Bahá’í foi fundada por Bahá’u’lláh, título de Mirzá Husayn Ali (1817-1892) e não possui dogmas, rituais, clero ou sacerdócio.


Onde Estamos
A Comunidade Bahá’í com aproximadamente 7 milhões de adeptos, é a segunda religião mais difundida no mundo, superada apenas pelo Cristianismo, conforme afirma a Enciclopédia Britânica. Os bahá’ís residem em 178 países do mundo, em praticamente todos os territórios e ilhas do globo.

.. e no Brasil
A Comunidade Bahá’í está estabelecida no Brasil desde fevereiro de 1921, com a vinda da Sra. Leonora Holsapple Armstrong. A Sra. Armstrong faleceu na Bahia, em 1980 e desde aquele ano, Assembléias Legislativas Estaduais e Câmaras Municipais de Vereadores de diversas capitais e cidades brasileiras a têm homenageado concedendo seu nome a praças e logradouros públicos, dentre estas, citamos Manaus, Vitória, Natal, Rolândia, Londrina, Juiz de Fora. Hoje os bahá’ís formam um contingente de aproximadamente 57.000 pessoas, das mais diversas classes sociais, culturais e econômicas, residentes em aproximadamente 1.215 cidades e municípios brasileiros, em todas as regiões.

A Comunidade Bahá’í é reconhecida no Brasil por estabelecer projetos de desenvolvimento econômico e social em diversas regiões do país.


O que ensina a Fé Bahá'í?
A Unidade da Humanidade: "... hoje todos os horizontes do mundo estão iluminados com a luz da unidade... fomos criados para levar avante uma civilização em constante evolução..."
A livre e independente busca da verdade: "A luz é boa, não importa em que lâmpada brilhe... uma flor é bela, não importa em que jardim floresça..."
A eliminação de todas as formas de preconceitos e discriminação: "...somos as folhas e os ramos de uma mesma árvore... as gotas de um único mar..." 

A igualdade de direitos e oportunidades para o homem e a mulher: "A humanidade assemelha-se a um pássaro, uma asa é o homem e a outra, a mulher. O pássaro não pode alçar vôo sem o equilíbrio dessas duas asas..."

A harmonia essencial entre a religião, a razão e a ciência: "A verdade é uma só e é indivisível... o progresso da humanidade depende desses fatores..."
Educação compulsória universal "O homem é uma mina rica em jóias de inestimável valor, a educação, tão somente, poderá fazê-la revelar seus tesouros..."
A revelação divina é progressiva: "Deus é um, a religião é uma, a humanidade é uma... o objetivo da criação humana é conhecer e adorar a Deus... Todas as religiões provêm de um mesmo Deus..."
(Todas as frases entre aspas citadas nesta página, são Sagradas Escrituras Bahá'ís)


Deseja conhecer mais sobre a Fé Bahá’í?


Introdução ao Pensamento de Bahá'u'lláh http://www.bahai.org.br/nsabr/
(português)

The Bahá'í World http://www.bahai.org/
(inglês)

E-mail:

info@bahai.org.br
Nosso
endereço


Comunidade Bahá’í do Brasil
Caixa Postal: 7035
CEP 71619-970, Brasília, DF
Tel: (0XX61) 3364-3594
Fax: (0XX61) 3364-3470

Nenhum comentário: